Nesta altura de contingência face à pandemia do Covid-19 é essencial encurtar a distância entre a oferta e a procura, apostar nos circuitos curtos de comercialização e por em contacto direto quem produz com quem consome e, por essa razão, o Ministério da Agricultura lançou a campanha “Alimente quem o Alimenta”.

Esta campanha pretende, acima de tudo, apelar a um consumo, responsável e consciente, de produtos locais, frescos, seguros e de qualidade e, simultaneamente, agradecer a todos que, diariamente, trabalham em prol do normal funcionamento do setor agroalimentar e da respetiva cadeia de abastecimento.

Segundo a Ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, em tempos como aqueles que atravessamos, “todos os consumidores estão convocados para este desafio. Um desafio que passa pela aposta nos nossos produtos, produtos seguros e de qualidade, e pelo essencial apoio aos nossos agricultores e produtores”.

Para assegurar o normal funcionamento do sistema de abastecimento alimentar, a titular da pasta da Agricultura apela ainda ao consumo consciente e responsável e reforça aquela que é a grande mensagem desta campanha: “Para que esta cadeia, a cadeia alimentar, não se quebre, compre produtos locais e ajude a nossa Agricultura. Por si, por todos nós, pela nossa saúde, pelo nosso país. Alimente-se desta ideia. Alimente quem o alimenta”.

Adotando o mote  da campanha Alimente quem o Alimenta foi, também, criada uma plataforma online que pretende contribuir para a agilização do escoamento de produtos locais, os quais também assumem um papel fundamental na garantia de uma alimentação saudável e equilibrada.

Este projeto é desenvolvido pelo Ministério da Agricultura, em parceria com a Secretaria de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural, a Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, a Rede Rural Nacional, a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, as Direções Regionais de Agricultura e Pescas, a Federação Minha Terra, os Grupos de Ação Local e os Municípios.   

Qualquer produtor, de forma simples e rápida, poderá efetuar o seu registo para anunciar os seus produtos e cabazes disponíveis para encomenda. Após o registo, o produtor passa a constar de uma listagem  de produtores de todo o continente, disponibilizando os seus contatos diretos para todos os que procurem a aquisição de produtos frescos e locais.

Qualquer consumidor, com conforto e segurança, poderá pesquisar por Concelho e produtos (biológicos ou não) e, desta forma, identificar os produtores da sua região e encomendar os seus produtos.

Esta plataforma - www.alimentequemoalimenta.pt - que coloca a inovação ao serviço do setor, já conta com mais de 700 produtores e 50.000 interações com potenciais consumidores.