PROJETOS

 

 

DRAP ALENTEJO: acessibilidade e proximidade

 

Designação do projeto | DRAP ALENTEJO: acessibilidade e proximidade

Código do projeto |ALT20-09-5762-FSE-000025

Objetivo principal | Promover a eficiência na relação com os cidadãos e empresas, reiniciando o processo de modernização que foi travado nos últimos anos, e colocar o organismo na liderança em matéria de simplificação administrativa.

Região de intervenção | Alentejo

Entidade beneficiária | Direção Regional de Agricultura e Pescas do Alentejo


Data da aprovação | 10-12-2019

Data de início | 27-02-2020

Data de conclusão | 26-02-2023

Custo total elegível | 131 846.78 €

Apoio financeiro da União Europeia | 112 069.76 €

Apoio financeiro público nacional/regional |19 777.02 €


Objetivos, atividades e resultados esperados:

1. Desenvolvimento de um portal institucional;
2. Melhoria dos serviços de atendimento ao público.
3. Criação de um Sistema de Wayfinding.

 

Ficha de Projeto

 

Rede Rural Nacional

A DRAP Alentejo integra um Ponto Focal Regional da Estrutura Técnica de Animação (ETA) centralizada na DGADR.

Os objetivos do projeto do Ponto Focal da DRAP Alentejo, relativos às ações da RRN, são os seguintes:
1. Dinamização do trabalho em rede

  • Elaboração dos planos de atividades e dos relatórios de atividades do Ponto Focal do Alentejo;
  • Participação em ações de capacitação para os elementos da ETA;
  • Acompanhamento grupos de trabalho temáticos (GTT) nacionais;
  • Contribuir para a dinamização do site da RRN;
  • Organização de eventos regionais de dinamização da RRN;
  • Participação em feiras e;
  • Participação em eventos e atividades organizadas pelos membros da RRN e outros.

2. Apoio à abordagem LEADER/DLBC e à Inovação 

  • Participação nas iniciativas e eventos organizados pela ETA;
  • acompanhamento de projetos no âmbito dos Grupos Operacionais (GO) regionais.

3. Promoção da partilha e divulgação de informação e conhecimento

  • Organização de eventos workshops, encontros, de debates sobre as temáticas da RRN;
  • Participação em eventos e atividades organizadas pelos membros da RRN e outros;
  • Atualização da base de dados com informação de projetos relevantes e inovadores;
  • Divulgação de iniciativas desenvolvidas no âmbito dos GTT (Seminários) e pelos GO.

Territorial Med

Territorial MED: Salvaguarda da Dieta Mediterrânica através da sua diferenciação territorial

Entidade líder do projeto: DGADR – Direção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural
Parceiros: 

  • DRAP Alentejo - Direção Regional de Agricultura e Pescas do Alentejo
  • DRAP N – Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte
  • DRAP C - Direção Regional de Agricultura e Pescas do Centro
  • DRAP LVT -Direção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo
  • DRAP Algarve - Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve
  • Associação In Loco – Estudo | Intervenção | Formação | Estudos para o Desenvolvimento Local

Breve descrição:
Reforçar a estratégia nacional para a salvaguarda e a valorização da Dieta Mediterrânica, desenvolvendo uma intervenção alargada a todo o território nacional, mas com incidência e adequação a cada região do País e envolvendo os diversos agentes com ligação à DM, nomeadamente agricultura, alimentação, saúde, turismo, autarquias, investigação, comunidade escolar, associações de desenvolvimento local e agentes económicos.

Contexto:
A Dieta Mediterrânica (DM) foi reconhecida pela UNESCO como património cultural imaterial da humanidade e é considerada, também, pela Organização Mundial de Saúde como uma dieta sustentável, um padrão alimentar e um estilo de vida saudáveis, baseando-se no consumo de prdoutos locais e sazonais, confecionados segundo a gastronomia tradicional e com apelo à atividade fisica e ao convívio à mesa.

A DM contribui para a promoção da saúde e prevenção da doença mas contribui, também, para a biodiversidade, a sustenatbilidade alimentar, a preservação do ambiente, do património, da cultura das regiões e para o desenvolviemnto dos territórios rurais.

Importa salvaguardar e promover a DM através e uma intervenção junto das populações, ação que deverá assentar num profundo conhecimento das características de cada território. Para tanto, será necessário desenvolver um trabalho de estudo com vista ao aprofundamento do conhecimento sobre a DM em cada um das regiões, partindo do conceito matriz DM, identificar as suas particularidades regionais, para que com este conhecimento se possa divulgar e promover a DM em cada uma das Regiões, partindo das suas características específicas.

Objetivos visados:
Objetivo 1: contribuir para aprofundar o conceito de Dieta Mediterrânica (DM), na sua diversidade e nas suas especificidades regionais; identificar as características e produtos base diferenciadores da DM em cada uma das regiões de Portugal Continental;

Objetivo 2: divulgar a “Rota da Dieta Mediterrânica-RDM” regionalmente, como uma estratégia para a valorização dos produtos, das tradições, da cultura e do património das regiões; promover o alargamento da Rota da Dieta Mediterrânica iniciada na Região do Algarve à Região do Alentejo.

Objetivo 3: divulgar e promover a Dieta Mediterrânica nas cinco regiões de Portugal Continental, enquanto estilo de vida e padrão alimentar saudável e dinamizador do desenvolvimento dos territórios rurais.

 

Plano de ação: 

  • Ação 1 - Adequação do conceito de DM às especificidades de cada Região
  • Ação 2 - Sensibilização à Rota da Dieta Mediterrânica e seu alargamento à região do Alentejo
  • Ação 3 - Divulgação e Promoção da Dieta Mediterrânica
  • Ação 4 - Divulgação dos resultados do Projeto

Afável

Agricultura Familiar e Valorização Territorial Sustentável, em contexto de Alterações Climáticas (AFAVEL)

Entidade líder do projeto: ANIMAR - Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local
Parceiros:

  • ADER SOUSA (Associação de Desenvolvimento Rural das Terras de Sousa);
  • CONFAGRI (Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal);
  • Cooperativa Três Serras de Lafões;
  • DRAP Norte (Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte);
  • DRAP Centro (Direção Regional de Agricultura e Pescas do Centro);
  • IGOT (Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa);
  • TRILHO, Associação para o Desenvolvimento Rural.

Breve descrição:
O AFAVEL visa aprofundar o conhecimento da agricultura familiar e dos territórios rurais com expressão significativa deste tipo de agricultura, estudando políticas de apoio e avaliando condições de implementação. Apoia-se em trabalho de campo em territórios das Regiões Norte, Centro e Alentejo, e pretende contribuir para promover processos de valorização socioterritorial, inovação social e capacitação integrada dos atores e agentes de desenvolvimento rural, face aos desafios das alterações climáticas.

Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:
Estudo de processos de valorização socioterritorial, inovação social e capacitação integrada dos atores e agentes de desenvolvimento rural, face aos desafios das alterações climáticas.